Apesar das críticas, Copa Davis terá o que há de melhor do tênis em sua fase final

À partir de segunda-feira (18), a Copa Davis estreia seu novo formato de fase final, com sede única, em Madrid, na Espanha e um total de 18 equipes dividas em grupos disputando o título da competição. E se o torneio vinha sendo criticado pelos tenistas, as convocações das seleções provam que o campeonato estará em seu mais alto nível.

Isso porque nomes como o sérvio Novak Djokovic e o espanhol Rafael Nadal estão confirmados em suas equipes. A Copa Davis recebeu inúmeras críticas de jogadores e público pela data e forma de disputa nos últimos meses, mas a presença de grandes estrelas se mostrou um contraponto para a realização do evento.

E não só pela presença das lendas mencionadas. Outros nomes do top 10 também estarão em quadra para representarem seus países como os russos Daniil Medvedev e Karen Khachanov e do espanhol Roberto Bautista. Tenistas de peso como o britânico Andy Murray, os franceses Gael Monfils e Jo-Wilfried Tsonga e o australiano Fabio Fognini também são presenças certas que reforçam a força do torneio.

Os desfalques da competição acontecem pela não-classificação de determinada nação ou lesões. São os casos do suíço Roger Federer, o austríaco Dominic Thiem e o grego Stefanos Tsitsipas que não tiveram seus países na fase final do torneio. Já o canadense Milos Raonic e o croata Marin Cilic estão machucados e serão desfalques de peso para suas seleções. O único tenista renomado que optou por não participar do evento foi o japonês Kei Nishikori.

O novo formato da competição foi apoiado e financiado por Gerárd Piqué, jogador do Barcelona e sofreu inúmeras críticas dos tenistas do Circuito. Paralelamente, a entidade máxima do tênis criou um novo projeto para o início de 2020 (3 a 12 de janeiro), a ATP Cup, torneio realizado na Austrália, que reunirá 24 nações e servirá como preparação ao Australian Open – este sim com apoio dos atletas.

Enquanto não sabemos ao certo qual será o futuro de seleções no Circuito ATP, apenas aproveitamos os grandes embates que a Copa Davis nos proporcionará na próxima semana. Até o dia 24, conheceremos o novo campeão da competição que tem como maior vencedor o Estados Unidos, com 32 troféus e tem a Croácia como a atual defensora do título.

Confira os convocados de cada nação:

Grupo A

França: Gael Monfils, Bernoit Paire, Jo-Wilfried Tsonga, Pierre Huges Herbert, Nicolas Mahut.

Sérvia: Novak Djokovic, Dusan Lajovic, Janko Tipsarevic, Victor Troicki, Filip Krajinovic

Japão: Yoshihito Nishioka, Yuichi Sugita, Taro Daniel, Ben Mclachlan, Yasutaka Uchiyama

 

Grupo B

Croácia: Marin Cilic (lesionado), Borna Coric, Mate Pavic, Ivan Dodig, Nikola Mektic

Espanha: Rafael Nadal, Roberto Bautista, Feliciano Lopez, Carreno-Busta, Marcel Granollers

Rússia: Daniil Medvedev, Karen Khachanov, Andrey Rublev, Evgeny Donskoy

 

Grupo C

Argentina: Diego Schwartzman, Horacio Zeballos, Guido Pella, Leonardo Mayer

Alemanha: Leonard Struff, Philipp Kohlschreiber, Dominic Koepfer, Andreas Mies, Kevin Krawietz

Chile: Cristian Garin, Nicolas Jarry, Alejandro Tabilo, Marcelo Barrios, Hans Podlipnik

 

Grupo D

Bélgica: David Goffin, Kimmer Coppejans, Sander Gille, Joran Vliegen, Steve Darcis

Austrália:Alex De Minaur, Nick Kyrgios, John Millman, Jordan Thompson, John Peers

Colombia: Daniel Galan, Santiago Giraldo, Alejandro Gonzalez, Juan Sebastian Cabal e Robert Farah

 

Grupo E

Grã-Bretanha: Andy Murray, Kyle Edmund, Jamie Murray, Neal Skupski

Holanda: Robin Haase, Tallon Griekspoor, Van de Zandschulp, Wesley Khoolhof, Jean-Jilien Rojer

Cazaquistão: Mikhail Kukushikin, Alexander Bublik, Dmitry Popko, Aleksandr Nedovyesov, Andrey Golubev

 

Grupo F

Estados Unidos: Frances Tiafoe, Taylot Fritz, Jack Sock, Reilly Opelka, Sam Querrey

Itália: Matteo Berrettini, Fabio Fognini, Andreas Seppi, Simone Bolelli, Lorenzo Sonego

Canadá: Milos Raonic (lesionado), Felix Auger-Aliassime, Denis Shapovalov e Vasek Pospisil

Você também pode gostar: