A aposentadoria de Andy Murray é uma grande perda para o tênis mundial

aposentadoria murray

Pouco antes do início do Australian Open, Andy Murray chocou o mundo ao anunciar sua aposentadoria do tênis neste ano. Aos 31 anos, o britânico perdeu a luta contra uma lesão no quadril e decidiu parar de jogar o esporte que ele tanto foi vitorioso na carreira.

Desde o fim de 2017, o britânico deixou de ser a figura constante nos grandes torneios da ATP e muitos se perguntavam sobre sua saúde. A lesão o tirou das quadras no primeiro semestre de 2018 e desde sua volta em junho, seu nível nunca mais foi o mesmo. Diversas foram as interrupções para cuidar de seu quadril, até o anuncio oficial do tenista.

A lesão de Murray é a mesma que atrapalhou a carreira de Guga Kuerten, e que assombrou jogadores como Lleyton Hewitt e Tommy Haas. A gravidade do problema fez o tênis mundial perder mais um dos grandes no circuito.

Foram 47 títulos de torneios da ATP, 2 ouros olímpicos e 3 Grand Slams. Isso tudo em um período em que o circuito é dominado por lendas como Rafael Nadal, Roger Federer e Novak Djokovic. Andy Murray derrotou diversas vezes esses adversários. Fazer parte do “Big Four” fez o atleta cravar o seu nome no esporte: ele também é um dos maiores tenistas dessa geração.

Andy murray
Andy Murray levantando seu primeiro troféu em Wimbledon, em 2013 (Foto: Reprodução)

Ao longo da carreira, o britânico agregou muito no universo do tênis. Não só com o seu jogo, onde é enorme em número, mas também como pessoa, sendo uma inspiração para seus compatriotas, fãs de tênis e fãs de esportes em geral.

Ano após ano, Murray lutou por uma premiação equiparadas de homens e mulheres e sempre apoiou o tênis feminino em transmissões. Sempre se mostrou presente em causas nobres como eventos para arrecadar dinheiro para países periféricos e eventos para ajudar pessoas com câncer. Um verdadeiro Sir.

Murray já deixou claro que pretende jogar ao menos até Wimbledon, “em casa”, na grama sagrada que o consagrou com dois títulos, em 2013 e 2016. As dores e a sequência de lesões, contudo, podem fazer ele parar antes.

Nesta segunda-feira, um Murray abaixo do nível que estamos acostumados a ver iniciou sua caminhada no Australian Open com derrota na primeira rodada para o espanhol Roberto Bautista Agut, por 3 sets a 2. Um tipo de derrota que nunca se acostumou na carreira, mas muito menos dolorido que o anúncio de sua aposentadoria.

Ao término da partida, a organização da competição fez um vídeo homenagem ao atleta, com depoimento dos amigos e rivais que colecionou ao longo da carreira. Nele é possível ver, o quão querido é o atleta e como fará falta ao circuito e aos atletas. Não só aos atletas, Murray, nós também iremos.

Assista o vídeo que o Australian Open fez em homenagem a Andy Murray:

Você também pode gostar: