Com grande potencial de receita, liga conjunta entre Bélgica e Holanda pode sair do papel

Há algum tempo, as federações de futebol belga e holandesa discutem sobre uma possível liga conjunta entre os países, mas que nunca saiu do papel. Só que parece que dessa vez isso deve ter um desfecho diferente: uma reunião na última semana com os principais clubes dos dois países parece ter dado força para a ideia em um futuro não muito distante.

A “BeNeLiga”, possível nome de como seria chamado a competição, seria um torneio com um potencial grande de arrecadação de receitas, que daria aos clubes da região um poder maior para competir com as principais ligas do mundo. Estima-se, em estudo, uma receita de até € 400 milhões com direitos de TV, um aumento significativo em relação à avaliação atual, de € 80 milhões de cada uma das ligas nacionais separadas.

Estiveram presentes na reunião 11 clubes: Anderlecht, Brugge, Standard Liège, Gent e Genk, da Bélgica, e Ajax, PSV, Feyenoord, Vitesse, Utrecht e AZ Alkmaar, da Holanda – além de representantes das federações neerlandesa e belga.

Inicialmente, a data mais próxima para uma possível criação da liga conjunta seria 2025, já que a liga belga está relativamente presa à sua própria renegociação de direitos televisivos. Porém, cartolas belgas já demonstraram disposição para fazer o possível para encurtar esta linha do tempo.

Esportivamente falando, o projeto atual da BeNeLiga visa uma competição com 18 clubes. Dez seriam da Holanda, enquanto a Bélgica teria oito equipes. A escolha dos clubes não seriam com base nos resultados mais recentes e sim uma escolha “à dedo” das maiores camisas. Assim, as equipes participantes seriam: Ajax, AZ Alkmaar, PSV Eindhoven, Feyenoord, Vitesse, Twente, Utrecht, Groningen, ADO Den Haag e Heerenveen (Holanda); e Brugge, Standard Liège, Anderlecht, Antwerp, Genk, Gent, Charleroi e Cercle Brugge (Bélgica).

As segundas divisões seguiriam nacionais, com uma edição belga e outra neerlandesa, assim como as Copas nacionais. Cada campeão das segundas divisões subiria à BeNeLiga, e um terceiro clube seria promovido por meio de repescagem. Apesar da ideia empolgar os clubes da região, seria necessário uma aprovação da UEFA para acontecer.

Força europeia?

Ajax de Cruyff é lembrado como um dos maiores times de todos os tempos (Foto: Divulgação)

O principal objetivo da BeNeLiga é fortalecer as equipes belgas e holandesas. Uma liga mais forte e rica, permitiria, por sua vez, a manutenção de algumas das principais promessas dos dois países, hoje rapidamente levadas pelos maiores clubes nas cinco grandes ligas europeias.

A Holanda tem grande tradição no futebol, com diversos craques imortais ao longo de sua história (como Cruyff, Gullit, Van Basten, entre outros), título europeu e três finais de Copa do Mundo. Por clubes, o Ajax de Cruyff é colocado como um dos maiores times de todos os tempos, mas não podemos esquecer que PSV e Feyenoord também já chegaram no topo do futebol europeu.

Tudo isso mudou com o atual momento da modalidade no mundo, com a disparidade financeira sendo decisiva na força das equipes. A chegada do Ajax à semifinal da Champions League na última temporada, parece ser um ponto fora da curva – o clube não conseguiu nem a classificação ao mata mata na atual edição. Duas das suas principais peças na campanha, De Ligt e De Jong, saíram com propostas milionárias de equipes que estão no topo da pirâmide do futebol (Juventus e Barcelona, respectivamente).

O sucesso da Bélgica no esporte é menor comparado aos seus vizinhos. Ao longo de sua história, as principais campanhas de destaques foram um vice-campeonato da Eurocopa e um 3º lugar na Copa do Mundo, com uma ótima geração nos anos 80. Só que a geração atual se coloca como uma das mais fortes do planeta.  

O 3º lugar na última Copa do Mundo, com uma equipe recheada de craques e jogadores que atuam nas principais ligas europeias, colocou o futebol belga em outro patamar. “O futebol belga está acordando e entrou na modernidade”, afirmou o presidente do Club Brugge, Bart Verhaeghe.

Com essa força conjunta, a BeNeLiga ocuparia hoje o sexto lugar no ranking de coeficiente da UEFA, que determina o número de vagas por país para a Champions League. Atualmente, sem a liga conjunta, a Bélgica é a 8ª colocada no ranking, enquanto a Holanda ocupa a 9ª colocação, ambos pegando apenas duas vagas na Liga dos Campeões. A junção pode colocar belgas e holandeses em um outro patamar.

Eden Hazard foi o principal destaque da Bélgica no 3º lugar da Copa do Mundo 2018 (Foto: Divulgação)

Você também pode gostar: