Fanáticos por game: eSports cresce ano após ano

esports

Já não é segredo para ninguém a força do eSports ao redor do mundo. Essa modalidade de competição profissional de videogames já vem chamando a atenção há algum tempo e cresce a cada ano, sempre na cola de jogos de sucesso, como League of Legends, DotA 2, Counter-Strike, Starcraft e outros.

O mercado dos esportes eletrônicos deve bater recordes e girar receitas na casa de US$ 1.1 bilhão (cerca de R$ 4 bilhões) em 2019, segundo um relatório feito por uma agência especializada no assunto. Deste montante, quase metade do investimento virão de patrocínios. O restante vem dos direitos de transmissão de torneios, gastos em publicidade, venda de produtos e ingressos de competições, além de taxas de desenvolvedoras dos jogos.

O aumento significativo da audiência deve subir em torno de 15% ao redor do mundo no período. A maioria do público que acompanha os esportes eletrônicos estão na Ásia e da região do Pacífico (incluso países como Austrália e Chile) e ele deve ficar ainda maior. Com mais público, maior o consumo e mais dinheiro girando no universo dos games.

Previsões otimistas colocam que as receitas no mundo dos jogos eletrônicos até 2022, podem ultrapassar a casa dos US$ 3 bilhões, mostrando a força da modalidade.

Brasileiros já foram campeões do mundo no Counter Strike: Global Offensive (Foto: HLTV)

Mas por que um crescimento tão relevante nesta área?

As origens do esporte eletrônico estão, possivelmente, na Coreia do Sul e em alguns pontos da Ásia e Europa. Os jogos do gênero de estratégia em tempo real cresceram nesses locais, além de levarem ainda popularidade aos jogadores profissionais que surgiram na onda. Na Coreia do Sul, por exemplo, o eSport é uma modalidade competitiva reconhecida oficialmente desde o ano 2000.

Com o tempo, os esportes eletrônicos foram se espalhando ao mundo, tornando-se mais coletivos, podendo envolver dezenas, centenas ou milhares de pessoas. Desse modo, passaram a explorar habilidades estratégicas e sociais dos jogadores. Como consequência, se tornaram mais interessantes, complexos e desafiadores, permitindo a criação de equipes, ligas e grandes competições.

Hoje em dia, as disputas já envolvem estruturadas organizações formadas por atletas profissionais, que contam com grandes patrocínios e verdadeiras legiões de fãs. Para se ter uma ideia do tamanho do sucesso, as finais de Campeonato Mundial de LOL – League of Legends – dos últimos anos renderam mais audiência até mesmo que as finais da NBA.

Com o crescimento dos eSports, as transmissoras não perderam tempo. O que antes era restrito a internet, hoje já conta com a cobertura dos principais campeonatos em canais de TV por assinatura como SporTV e ESPN. É comum ligar nas emissoras e acompanhar torneios de DotA 2, LOL, Starcraft e Counter Strike: Global Offensive – neste último, tendo inclusive campeões mundiais do Brasil. Competições de jogos de futebol, como FIFA e PES, também fazem bastante sucesso.

Como podemos perceber, esta é uma nova era. Um nicho com grande espaço e potencial para ser explorado. A fórmula do sucesso originado na Ásia já invadiu o mundo todo, unindo games populares, campeonatos que são verdadeiros espetáculos e jogadores celebridades. E a tendência disso tudo é aumentar!

Você também pode gostar: