Djokovic e Nadal se reencontram na final do Australian Open, prontos para completar mais um capítulo da rivalidade

australian open

Djokovic e Nadal não tiveram dificuldades para vencerem seus jogos na semifinal do Australian Open. E deu a lógica: mais uma final entre as duas lendas do tênis. A rivalidade entre os dois tem uma grande e equilibrada história no Circuito e neste domingo, às 6h30, os atletas completarão mais um capítulo deste confronto.

Sem perder sets nas seis partidas que disputou no Australian Open, Nadal vem atuando em um nível absurdo. Atropelou nomes como o tcheco Berdych e a surpresa americana Tiafoe. Na semifinal, o duelo contra o jovem Tsitsipas foi cercado de expectativas, porém o grego não foi páreo para o número 2 do mundo, que despachou o seu rival com parciais de 6/2, 6/4 e 6/0.

Djokovic não fez por menos. Perdeu sets para dois rivais (Shapovalov e Medvedev), porém manteve a consistência em todos os momentos. Passou pelo francês Tsonga e pelo japonês Nishikori, que já deu trabalho ao sérvio na carreira em algumas oportunidades, mas desistiu da partida por lesão. Na semifinal, uma vitória tranquila contra o francês Pouille por 6/0, 6/2 e 6/2, recolocou o número 1 novamente na final australiana.

Como já mencionamos anteriormente, Nadal e Djokovic tem uma bonita história de rivalidade no Circuito. Na carreira já se enfrentaram 52 vezes, com vantagem para o sérvio: são 27 vitórias contra 25 do espanhol.

ao
Djokovic e Nadal pousam para a foto ao lado de Rod Laver, após vitória do sérvio na final do Australian Open 2012 (Foto: ATP)

Em finais de Grand Slam, este será o oitavo confronto entre os tenistas. Nas setes decisões disputadas até o momento, Nadal venceu quatro (U.S. Open 2010 e 2013 e Roland Garros 2012 e 2014) e Djokovic conquistou três vitórias (Wimbledon 2011, U.S. Open 2011 e Australian Open 2012).

Os atletas repetem a final do Australian Open, que aliás, em 2012, foi o único duelo entre os rivais no “Major” do país do canguru. A batalha de 5 horas e 53 minutos vencida pelo sérvio por 7/5 no quinto set é até hoje a final de Grand Slam mais longa da história do tênis.

Djokovic se tornará o primeiro tenista a conquistar sete títulos de Australian Open caso saia vitorioso neste domingo. Pode ser o 15º troféu de Grand Slam do atual número 1 do mundo. Já Nadal, dono de 17 “Majors”, busca ser o primeiro atleta da Era Aberta a ganhar os quatro Grand Slams ao menos duas vezes no Circuito Masculino.

O domingo de manhã promete ser de grande euforia para os fãs de tênis. Há poucos meses, ambos os tenistas enfrentavam períodos ruins em suas carreiras e uma final desta já não aparentava ser possível no Circuito. Mas os dois mostraram que são verdadeiras lendas, deram a volta por cima, chegaram novamente ao topo do ranking ATP e agora fazem o embate para mostrarem que estão no mais alto nível possível. Independentemente do resultado, temos dois grandes vencedores e devemos apreciar.

Você também pode gostar: