GP da Inglaterra segue indefinido para a temporada 2020 da Fórmula 1

silverstone

O GP da Inglaterra de Fórmula 1 é um dos cinco, junto das provas de Espanha, Alemanha, Itália e México, que ainda não tem contrato para estar no campeonato na temporada de 2020. A organização já cogitou a possibilidade de fazer um Grande Prêmio nas ruas de Londres, mas não descartaram manter o evento em Silverstone.

Com todo este impasse, o diretor esportivo da F-1, Ross Brawn, deu uma declaração recentemente, explicando a situação e afirmando não querer que o GP da temporada de 2019 seja o último inglês.

“Não acho que será o último GP da Inglaterra. Seja em Silverstone ou não, é outro assunto. Queremos um GP da Grã-Bretanha e queremos encontrar uma solução com Silverstone. Mas estamos diferindo em nossas visões sobre o que é razoável e o que não é. Não estamos muito separados, mas é frustrante não conseguirmos encontrar uma solução”, comentou ao Autosport.

ross brawn
Ross Brawn é diretor esportivo da Fórmula 1 (Foto: Reprodução)

Brawn ainda não deixou de ressaltar a importância da Grã-Bretanha para a Fórmula 1. “Competir no Reino Unido é importante para nós. E, obviamente, Silverstone tem sido a casa do GP nos últimos anos. Mas a maioria de nós pode lembrar que (a prova) foi realizada em Brands Hatch e não parecia tão estranho que tínhamos uma corrida em Brands Hatch um ano e Silverstone no próximo. Estamos determinados a garantir que vamos manter o GP da Inglaterra, e esperamos que em Silverstone, mas não há certeza”.

Com 21 corridas marcadas para a temporada 2019, o calendário da Fórmula 1 sofre atualmente com o excesso de provas – e o número pode aumentar em 2020, quando o Vietnã receberá uma prova. Desta forma, o tradicional traçado inglês, que ainda não tem contrato assinado para 2020, pode não aparecer na próxima temporada.

Para não deixar a Inglaterra de fora da modalidade, já se foi cogitado uma prova no centro de Londres. “Acho que, pelo fato de a Fórmula 1 ser uma atividade de no mínimo uma semana, a ruptura que isso provocaria no centro de Londres seria inaceitável. Mas há coisas na periferia que estão sendo exploradas – não diretamente no centro de Londres, mas na região metropolitana. Londres é uma cidade emblemática com uma grande história no esporte, e há muito entusiasmo aqui”, acrescentou Brawn, não descartando um possível GP londrino.

Por hora, apenas esperamos o desfecho que a temporada 2020 da Fórmula 1 dará ao assunto. Uma coisa é certa, o automobilismo perderia muito com uma possível saída do tradicional circuito de Silverstone em seu calendário.

Você também pode gostar: