Como o Qatar foi de uma seleção irrelevante para finalista da Copa da Ásia 2019

copa da asia

Quando falamos do Qatar no mundo do futebol, logo imaginamos os clubes do país tirando nossos jogadores com seus petrodólares e o local que irá sediar a Copa do Mundo de 2022. Mal sabemos sobre a história de sua seleção, até porque ela realmente é insignificante no meio esportivo – nunca ganhou sequer um título ou disputou um mundial. Só que tudo isso logo poderá mudar.

Isso porque o Qatar alcançou a final da Copa da Ásia 2019, com uma campanha irretocável de 100% de aproveitamento no torneio e agora luta por sua primeira glória da história, em partida contra o tradicional Japão, nesta sexta-feira, às 12h. A pergunta que fica é: como uma seleção sem tradição alguma vem surpreendendo tanto o continente asiático? Para entender melhor o feito dos catarianos, vamos falar sobre sua trajetória na competição.

Seu grupo realmente não era dos mais difíceis. Despachou o Líbano por 2 a 0, na estreia e goleou a Coreia do Norte logo na sequência, por 6 a 0, conseguindo a classificação antecipada à segunda fase. Na terceira e decisiva rodada, disputou a primeira colocação com a tradicional Arábia Saudita e venceu por 2 a 0, surpreendendo como a melhor seleção da fase de grupos do torneio.

A vitória por 1 a 0 sobre o Iraque, nas oitavas de final, foi a primeira em mata-mata na história do Qatar. E eles não pararam por aí, eliminando na sequência, uma das favoritas ao título a Coreia do Sul, também por 1 a 0. Os 4 a 0 sobre os anfitriões, Emirados Árabes, na semifinal, tirou qualquer dúvida do potencial da equipe. Uma campanha irretocável até a decisão com seis vitórias em seis jogos, 16 gols feitos e nenhum sofrido.

Este já é a maior resultado da história do Qatar na Copa da Ásia. Seus melhores resultados no torneio foram em 1984, em Cingapura, e em 1988, quando o país sediou o evento. Em ambas, terminou em quinto lugar, depois de terminar a primeira fase em terceiro no seu grupo. Em 2011, mesmo sediando novamente o evento, ficou em sétimo lugar.

A seleção jamais participou de uma Copa do Mundo. Nas eliminatórias para a competição na Rússia em 2018, o Qatar decepcionou bastante, fazendo apenas sete pontos em oito jogos na fase decisiva. E é por isso que os catarianos chegaram à Copa da Ásia deste ano longe dos holofotes e toda sua campanha surpreende.

Almoez Ali
Principal destaque do Qatar, Almoez Ali é o artilheiro da Copa da Ásia com 8 gols (Foto: Divulgação)

Para tentar explicar este sucesso, é preciso entender que o governo do Qatar vem investindo forte no esporte, por causa da Copa do Mundo de 2022, quando sediarão o torneio e farão sua estreia nele e outras competições como Jogos Asiáticos e Olímpicos. A principal fonte de talentos para a seleção de futebol atual vem na formação de atletas, feita por meio da Academia Aspire, projeto do Estado.

O centro esportivo é de primeiro mundo e faz inveja a qualquer clube ou entidade de esportiva. Inaugurado em 2004, dois anos antes dos Jogos Asiáticos que o país sediou em 2006, o complexo inclui 11 quadras e campos de diferentes esportes e abriga centenas de jovens de 12 a 19 anos.

Na grande campanha do Qatar na Copa Asiática, alguns nomes que se destacam tiveram sua formação na academia, muitos deles, descendentes ou imigrantes de outros países. Artilheiro da competição com oito gols até o momento, Almoez Ali, que nasceu no Sudão e se mudou ainda na infância ao Qatar, é um dos beneficiados pelo projeto. Outro que teve seu talento aprimorado pela Aspire foi o defensor iraquiano naturalizado Bassam Al-Rawi – ironicamente foi ele que fez o gol da vitória catarinense sobre o Iraque nas oitavas de final. Abdelkarim Hassan, Hamid Ismail, Ahmed Alaaeldin, Ali Afif, os irmãos Akram: todos estes jogadores do elenco passaram pelo centro esportivo.

O investimento do governo no esporte do país vem dando certo. E tudo isso pode ser coroado com o título na sexta-feira. Para isso, os catarianos terão que ultrapassar o Japão, parada duríssima, recheado de nomes de sucesso do futebol europeu e dono de quatro troféus da Copa da Ásia. Independentemente do resultado, o Qatar já pode se considerar vitorioso. E com o potencial de seus jovens jogadores, quem sabe não rola uma grande campanha na Copa do Mundo, hein? 2022 é logo ali!

Você também pode gostar: