Regras, regulamento, notas, calendário: entenda como funciona o Circuito Mundial de Surf

mundial de surf

O Circuito Mundial de Surf está de volta! A partir desta semana, Gold Coast na Austrália vai ser palco da primeira etapa da temporada. E novamente, o Brasil será o país com mais representantes na competição – 10 no total. Já Gabriel Medina será o defensor do título, após levantar seu segundo troféu em 2018.

Com o Brasil bem representado na modalidade, resolvemos separar um guia para explicar como funciona o Circuito, que neste ano conta com mudanças no formato das etapas. Confira!

Como funciona as baterias
O Circuito Mundial de Surf normalmente é dividido em 11 etapas ao longo do ano. Os eventos possuem janelas aproximadas de 10 dias. Os atletas entram em ação dependendo do nível das ondas. A organização (WSL) que faz a chamada diária para saber se vai haver as disputas das baterias. Se a entidade entender que o mar não está propício, é decretado o “lay day” (dia sem competição) e as baterias são adiadas para o próximo dia.

Cada bateria dura 30 mins, podendo ser aumentado pela organização para 35 ou 40 minutos, caso se julgue necessário. Neste tempo, cada atleta pode pegar um número ilimitado de ondas e o somatório das duas melhores forma a nota final.

A avaliação é feita por cinco juízes, que dão notas de 0 a 10, com a maior e a menor sendo descartadas. As três restantes são calculadas e a média será a pontuação final do surfista.

Os critérios observados pelos juízes para dar as pontuações dos atletas se baseiam em: empenho e grau de dificuldade, manobras inovadoras e progressivas, combinação de grandes manobras, variedade de manobras e velocidade, potência e fluidez que elas são feitas.

Calendário 2019

1-Gold Coast – 03/04 a 13/04
2-Bells Beach – 17/04 a 27/04
3-Bali – 13/05 a 25/04
4-Margaret River – 29/05 a 09/06
5-Rio de Janeiro – 20/06 a 28/06
6-Jeffreys Bay – 09/07 a 22/07
7-Taiti – 21/08 a 01/09
8-Surf Ranch – 19/09 a 22/09
9-Hossegor – 03/10 a 13/10
10-Peniche – 16/10 a 28/10
11-Pipeline – 08/12 a 20/12

Formato das etapas
O circuito é realizado em pontos corridos e as etapas são disputadas em formato eliminatório. No masculino, são 34 membros na elite, além de dois convidados (ou participante de uma triagem), totalizando 36 competidores.

As etapas são divididas em oito fases. Na primeira, três atletas se enfrentam com o vencedor e o segundo colocado avançando diretamente à terceira rodada. Os perdedores vão à repescagem, em confrontos de três surfistas em quatro baterias. Os surfistas com menor pontuação nesta fase, cai na competição.

Chegando na terceira rodada, os 24 classificados da primeira rodada, se juntam aos oitos da repescagem, divididos em 16 baterias de dois competidores. O vencedor avança à fase seguinte, enquanto os perdedores se contentam com a 17ª colocação.

Na quarta rodada, 16 surfistas são divididos em oito baterias, com o vencedor indo direto às quartas de final, enquanto os derrotados são eliminados na 9ª colocação. A partir das quartas de final funciona o sistema de mata-mata, com baterias homem a homem. Quem perder, está fora. Quem vencer, segue na briga até um se sagrar o grande campeão do evento.

Pontuação das etapas
Toda etapa o competidor recebe uma pontuação pela posição em que ficou. Ao final do ano, são somadas as nove melhores notas dos surfistas nas 11 etapas (as duas piores são descartadas), e assim é definido o campeão do WCT. Os surfistas que se mantiverem entre os primeiros 22, permanecem na elite do surf mundial.

Eles ganham a companhia dos dez melhores colocados da Divisão de Acesso (QS). Caso surfistas já classificados pelo CT estejam entre os dez do QS, serão chamados o 11º, o 12º e assim por diante.

1º lugar – 10.000 pontos
2º lugar – 8.000 pontos
3º lugar – 6.500 pontos
5º lugar – 5.200 pontos
9º lugar – 4.000 pontos
13º lugar – 1.750 pontos
25º lugar – 500 pontos
Lesionado – 500 pontos

Para conferir tudo sobre o Circuito Mundial de Surf 2019, acesse o site da World Surf League.

Você também pode gostar: