Rivais na UEFA Nations League, Holanda e Inglaterra depositam nos jovens suas esperanças para o sucesso

nations league

Holanda e Inglaterra se enfrentam nesta quinta-feira, pela semifinal da UEFA Nations League, em partida única que acontece em Portugal, no Estádio Dom Afonso Henriques. O duelo será bastante interessante para os fãs de futebol, que contará com diversos jovens craques em campo, que brilharam em seus clubes na temporada e que agora pedem passagem por suas seleções.

Tanto holandeses como ingleses tem uma média de idade em seus planteis. Se por um lado, os Oranges forçaram uma renovação devido a não classificação nos últimos dois grandes torneios internacionais, os Three Lions seguem confiando no trabalho que rendeu a 4ª colocação no último mundial, do treinador Gareth Southgate, alçado da seleção sub-21 e com grande conhecimento dos jogadores de base do país.  

A Holanda decepcionou sua torcida nos últimos anos. Mesclados por jogadores experientes como Robben e Snejider e jovens jogadores, a seleção não conseguiu a classificação para a Eurocopa de 2016 e Copa do Mundo de 2018 e um novo projeto foi planejado para deixar o fracasso para trás: Ronald Koeman chegou à equipe técnica e iniciou uma reformulação na Laranja Mecânica.

O treinador pegou embalo do grande momento do Ajax, semifinalista da Champions League deste ano e passou a dar mais chances para seus jovens talentos como De Ligt (19 anos), Frenkie de Jong (22) e Van Beek (24). As estrelas em ascensão dão uma boa sustentação para a nova base atual seleção holandesa, junto de alguns nomes que já brilhavam no cenário europeu como Memphis Depay (Lyon), De Vrij (Inter de Milão), Wijnaldum e Van Dijk (Liverpool).

Na campanha da Nations League, a Holanda era tratada como zebra. Os Oranges caíram em um grupo com os últimos dois campeões do mundo, França e Alemanha, mas surpreenderam conseguindo avançar com vitórias em casa e um empate heroico nos minutos finais contra os alemães. Desde o término do mundial, foram oito jogos disputados, sendo quatro vitórias, dois empates e duas derrota.

Alexander-Arnold se consolidou como um dos melhores laterais do mundo (Foto: Divulgação)

A Inglaterra chegou desacreditada na Copa do Mundo na Rússia, mas a 4ª posição do torneio colocou a seleção em outro patamar. A grande renovação de Southgate agradou os cartolas e o sucesso em torneios de base dos Three Lions e dos clubes ingleses nas competições europeias desta temporada reforçaram ainda mais o plantel inglês.

Nomes como Jadon Sancho (B. Dortmund – 19 anos), Declan Rice (West Ham – 20) e Alexander-Arnold (Liverpool – 20) chegam para brigar pela titularidade, que tem sua base formada pelos ótimos Pickford (Everton), Maguire (Leicester), Dele Alli (Tottenham), Sterling (M. City) e Harry Kane (Tottenham).

A Inglaterra começou mal na UEFA Nations League, com derrota para a Espanha, em casa, e empate contra a Croácia, fora. Porém, recuperou-se ganhando os últimos dois jogos e conseguindo a classificação às semifinais da competição. Após o mundial, são oito jogos disputados com seis vitórias, um empate e apenas uma derrota.

No confronto direto histórico entre Holanda e Inglaterra, o retrospecto não é favorável para nenhum dos times: esse será o 22º jogo, sendo seis vitórias para cada lado e nove empates. Essa será a primeira ocasião em que as seleções se enfrentam em partida válida por mata-mata. O vencedor duela contra Portugal na decisão, que entregará o inédito troféu ao ganhador da primeira edição da UEFA Nations League.

Você também pode gostar: